A partir desta segunda-feira (16), o destino de Sérgio Meneguelli, prefeito de Colatina, pode estar mais do que nunca nas mãos do legislativo municipal e também do Ministério Público Estadual (MP).

Isso porque de acordo com o “script” caberá ao presidente da Câmara Municipal de Colatina, Eliesio Braz Bolzani (PP), colocar em votação a abertura de CPI contra o prefeito do município por irregularidades no processo licitatório das obras da encosta e o pagamento de dois aditivos sendo um de R$ 126.789,91 e outro de 146.504,28 às empresas AMF Engenharia e Serviços LTDA e AMF Construtora LTDA.

Publicidade Publicidade

O Ministério Público (MP) já intimou o prefeito para prestar esclarecimentos sobre as “obras das encostas” do município. O promotor de justiça, Isaias Gomes Vinagre informou que existem erros no processo licitatório para contratação da empresa responsável pela obra e também no andamento da obra o chefe do executivo poderá ter de sofrer sanções, entre elas, improbidade administrativa.

De acordo com o MP os erros vão desde as irregularidades na licitação, como no dia do processo licitatório em que uma mesma pessoa representou as duas empresas concorrentes e, segundo o promotor, as duas empresas teriam os mesmos sócios.

“Nenhuma pessoa, ainda que munida de procuração, poderá representar mais de uma empresa junto a comissão permanente de licitação”, informou.

A denúncia do Ministério Público também aponta que a obra em tese não ainda não foi iniciada e mesmo assim já houve dois aditivos que somados totalizam o valor de R$ 273.294,19.

Segundo os autos do MP as empresas AMF Engenharia e Serviços LTDA e AMF Construtora LTDA deverão restituir os valores recebidos aos cofres públicos, uma vez que a obra licitada não nem mesmo iniciada, além disso o MP também solicita o afastamento dos servidores envolvidos no processo, a nulidade da licitação; a suspensão imediata dos contratos; apuração de responsabilidade administrativa.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorEx-primeira dama de Colatina é condenada há 12 anos de prisão por desvio de verba pública
Próximo artigoDiretora do Lar Pai Abraão de Colatina é investigada pelo MP por estelionato e maus tratos
Elan Costa é jornalista sob o registro MTE 3512/ES, articulista, marqueteiro e consultor político, estudante de direito e vice-presidente da Adjori/ES - Associação dos Jornais do Interior do Espírito Santo - eleito para o biênio 2021-2023. Atuou na Gerência de Jornalismo e Relações Públicas da Prefeitura de Guarapari, trabalhou como Jornalista Correspondente do Jornal A Tribuna, no Noroeste do ES, foi coordenador de comunicação na Câmara Municipal de Santa Teresa, assessor de comunicação na Amunes - Associação dos Municípios do ES -, e assessor político em diversos órgãos. É marqueteiro político, tendo atuado na campanha eleitoral para prefeito, em 2016, para deputado estadual em 2018, e novamente para prefeito e vereadores, em 2020. É fundador e proprietário do Jornal Regionalidades.

Comentários no Facebook