Prodest e Seger lançam mais 14 serviços no Portal do Servidor

0

O Portal do Servidor (www.servidor.es.gov.br) está com mais 14 serviços que podem ser feitos digitalmente pelos funcionários públicos. Todos foram integrados ao Sistema de Gestão de Documentos Arquivísticos Eletrônicos (e-Docs). As mudanças foram resultado da parceria entre o Instituto de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Espírito Santo (Prodest) e a Secretaria de Estado de Gestão e Recursos Humanos (Seger).

Com as novas funcionalidades, os servidores não precisam mais se dirigir à Seger para resolver demandas como: verificação, averbação e certidão de tempo de serviço; gratificação de adicional de assiduidade e tempo de serviço; reenquadramento do magistério; termo de opção de subsídio e revisão de enquadramento.

Publicidade Publicidade

Também podem ser feitas pelo Portal do Servidor as solicitações de férias prêmio e licença para adoção, atividade política (provisória e validada), para exercício de mandato eletivo e classista.

As mudanças contaram com a participação de equipes da Gerência de Sistemas do Prodest. Foram desenvolvidas interfaces web para criar os novos serviços e uma API (conjunto de padrões para permitir o acesso a um sistema Web) para integrar o Portal ao e-Docs.

“Facilitar o procedimento para garantir benefícios importantes aos servidores é algo fundamental para melhorar o ambiente de trabalho e tornar os funcionários públicos mais produtivos. Sem dúvida, as mudanças no Portal são muito positivas”, afirmou o presidente do Prodest, Tasso Lugon.

Saiba mais sobre o e-Docs

O e-Docs é o sistema corporativo de gestão de documentos arquivísticos digitais do Governo do Estado, que abrange as etapas despacho, tramitação, classificação, prazo de guarda, arquivamento e destinação final. Ele foi desenvolvido Prodest, em parceria com a Secretaria de Estado de Controle e Transparência (Secont), o Arquivo Público do Espírito Santo (Apees) e a Seger.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.