Você tem mania de estalar o pescoço? Hábito pode causar fraturas

0

Quem nunca deu aquela espreguiçada no corpo todo? Ou fez movimentos para estalar os membros? O hábito é comum para muitas pessoas. Mas, é preciso ter cuidado, porque de forma exagerada pode fazer mal a saúde, de acordo como ortopedista Márcio Schiefer. 

Em entrevista para o Portal R7, o médico contou um caso de um paciente que tinha um tique nervoso de estalar sempre o pescoço. Ele estalou tantas vezes que teve fraturas de várias vértebras.

Publicidade Publicidade

O ortopedista conta que existem casos, em que há o risco de quebrar o pescoço ao estalar. No caso citado acima, as fraturas não foram graves, mas o paciente precisou ser acompanhado por um psiquiatra e se tratar com medicamentos para parar de estalar o pescoço para que as fraturas pudessem se consolidar.

Atenção

Estalidos acompanhados de dor precisam ser verificados. De acordo com o médico, a dor é sinal de “problemas” nas superfícies ósseas ou cartilaginosas irregulares.  

O especialista ainda comenta que estalar partes do corpo com frequência, como os dedos por exemplo, pode ser um tique nervoso. “Pode ser a manifestação de um problema psicológico, uma compulsão. O ideal é que se investigue isso com um psiquiatra”, afirma.

Em casos mais graves, estalar o pescoço pode até mesmo, causa um Acidente Vascular Cerebral (AVC). O ortopedista explica que não é corriqueiro, mas é possível. Isso pode ocorrer porque quando se tenta estalar o pescoço, ele não estala necessariamente, mas sofre um movimento brusco em suas estruturas. Entre essas estruturas estão não apenas os nervos, mas também as artérias, que vão para o crânio “ligar o cérebro”. Se essas artérias sofrem uma angulação abrupta, elas podem causar dano na camada interna e esse dano pode levar a um AVC.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.