Os vereadores de Castelo aprovaram na manhã desta segunda-feira (15) o remanejamento de mais de R$ 2.100.000,00 (dois milhões e cem mil) entre as secretarias do município.

A sessão extra durou aproximadamente 10 minutos e contou com o voto favorável de todos os vereadores, com exceção à vereadora Mylena Pedruzzi (PPS) e o vereador Gerson Piassi (DEM).

Publicidade Publicidade

Segundo informações de vereadores que participaram da votação a discussão inicial era sobre a liberação do remanejamento de apenas 5% da dotação orçamentária de 2019 e, em seguida, a pedido do prefeito Luiz Carlos Piassi, a discussão passou para a liberação de 10%, o que totalizaria a quantia de mais de R$ 7 milhões de reais.

No entanto, uma emenda ao projeto de remajamento, proposta pelo vereador Éverton Zanuncio (PDT), e aprovada pelos edis, garantiu que o executivo pudesse remanejar apenas 3% do que foi aprovado na LDO – Lei de Dotação Orçamentária –, e LOA – Lei Orçamentária Anual –, o equivalente a pouco mais de R$ 70 milhões.

De acordo com o presidente da Casa de Leis, vereador, Domingos Fracaroli (PSDB), a aprovação do projeto foi importante para que a manutenção de alguns serviços básicos, entre eles o transporte escolar e serviços básicos da saúde.

“O projeto desceu para a Câmara aproximadamente a uns 20 dias, eu já estava sofrendo uma certa pressão por parte do secretariado municipal, visto que, se não fosse aprovado, alguns serviços ficariam comprometidas”, disse.

A redação entrou em contato com os vereadores Gerson Piassi (DEM) e Mylena Pedruzzi (PPS) para falar sobre a ausência durante a sessão desta segunda-feira (15) mas não obteve êxito.

Quem também não atendeu as ligações da redação, para explicar para quais secretarias o valor será remanejado foi o secretário de finanças, Maurício Passabão.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.