Segundo um estudo publicado na segunda-feira (20/07) na revista científica The Lancet, A vacina da Universidade de Oxford em parceria com a biofarmacêutica anglo-sueca AstraZeneca teve bons resultados contra o novo coronavírus.   Os resultados já eram esperados pelos pesquisadores, e se referem às duas primeiras fases de testes da imunização. A terceira fase do teste será em vários países, incluindo o Brasil.

As fases 1 e 2 foram  realizadas no  Reino  Unido e  tiveram  1.077 voluntários. A resposta imune foi imediata em laboratório, porém será realizado mais testes para confirmar se a vacina protege efetiva a  população. A resposta imune chamada de célula T é produzida 14 dias após uma primeira dose e os anticorpos apareceram depois de 28 dias.

Publicidade Publicidade

Anticorpos neutralizantes podem se conectar ao vírus assim que eles entram no corpo e impedir que infectem as células. As células T não reconhecem o vírus “sozinho”, mas sim células infectadas com ele e destroem as células. A nova vacina usa um vírus do resfriado comum (adenovírus), que foi enfraquecido para não causar nenhuma doença em humanos e é geneticamente modificado para codificar a proteína spike (S) do Sars-CoV-2 (aquela que o coronavírus usa para invadir as células humanas). Isso significa que, quando o adenovírus entra nas células das pessoas vacinadas, ele também fornece o código genético da proteína S. Isso faz com que as células dessas pessoas produzam a proteína S, e ajuda a ensinar o sistema imunológico a reconhecer o vírus Sars-CoV-2.

Nunca antes foi feito um esforço tão grande para a produção de uma vacina em tão pouco tempo, algumas empresas prometem que até o final do ano ou no máximo no início de 2021 já serão capazes de entregá-la para os países. Vale ressaltar também, que nenhuma vacina ou medicamento para tratar a covid-19 foi aprovado até o momento, dessa forma, todos os tratamentos são considerados experimentais.

 

Referência: https://g1.globo.com/bemestar/vacina/noticia/2020/07/20/vacina-de-oxford-para-covid-19-e-segura-e-induz-resposta-imune-anunciam-cientistas.ghtml

Comentários no Facebook