Encontro foi realizado na manhã dessa segunda-feira (25).

A Secretaria da Educação (Sedu) realizou, na manhã dessa segunda-feira (25), no auditório da Secretaria, que fica no bairro Santa Lúcia, Vitória, a 1ª Reunião Ampliada da Socioeducação. Participaram profissionais que atuam nas unidades de atendimento do Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo (Iases), bem como representantes de Gerências, Assessorias e Superintendências Regionais de Educação (SRE) da Sedu.

Publicidade Publicidade

Dentre os objetivos estava o estreitamento das relações entre os sujeitos que compõem a rede de oferta da escolarização na socioeducação, sendo diretores, pedagogos, supervisores escolares da SRE, técnicos da Sedu Central, pedagogos das Unidades Socioeducativas e representantes da Diretoria do Iases. Também objetivou-se construir plano de trabalho para a elaboração da Política Educacional para a Socioeducação, bem como criar fluxos e alinhar ações para qualificar a oferta educacional.

Para a construção da Política de Socioeducação foram apresentados pontos como: proposta Pedagógica que dialogue com as especificidades da socioeducação e da Educação em Direitos Humanos; Intervenções pedagógicas para estudantes não alfabetizados; Intervenções pedagógicas para estudantes em distorção/idade série; Atendimento Educacional Especializado; Articulação com as famílias; Formação para Profissionais da Educação; Inserção dos/as estudantes nas avaliações externas; Acesso à Literatura; Qualificação Profissional para estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA); e Humanização dos espaços pedagógicos.

A equipe presente deu como encaminhamentos a elaboração da Política Educacional para a Socioeducação no Estado do Espírito Santo, por meio do Grupo de Trabalho Sedu, Iases e Secretaria de Direitos Humanos (SEDH), com entrega prevista para o final de 2020.

A gerente de (EJA), Mariane Berger, que conduziu a reunião, destacou que “é importante discutir uma pauta tão preciosa para a Educação por se tratar de estudantes socioeducandos, que necessitam de Políticas Educacionais visando ao respeito às singularidades e necessidades desses sujeitos, sempre na perspectiva da Educação em Direitos Humanos”, disse.

Mariane Berger também enfatizou que ainda não existe uma política educacional que leve em consideração a socioeducação com seus princípios. “Nossa intenção é elaborar uma política pública de atendimento educacional para as Unidades Socioeducativas em diálogo com seus principais sujeitos, acreditando que a escolarização, além de ser direito constitucional, é condição para a ressocialização.”

Comentários no Facebook