A Secretaria de Estado de Direitos Humanos (SEDH) participou do Seminário “Psicologia e Políticas Públicas em Interface com as Infâncias e Juventudes”, realizado pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia Institucional da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), no auditório do Centro de Ciências Exatas da própria universidade, nesta terça-feira (13).

O evento, que contou com o apoio da SEDH, teve o objetivo de reunir sociedade civil, estudantes e profissionais de diversas áreas como Psicologia, Educação, Direito, Serviço Social e demais atores do Sistema de Garantia de Direitos de Crianças e Adolescentes para discutirem acerca da formulação e execução das políticas públicas relacionadas às infâncias e juventudes na perspectiva dos Direitos Humanos.

Publicidade Publicidade

A psicóloga e assessora técnica da Gerência de Diversidade Sexual e Gênero da SEDH, Marina Bernabé, ministrou, pela manhã, a palestra “Infâncias e juventudes irregulares: vidas invisibilizadas, vidas mortificadas”, juntamente com as professoras Adriana Macedo e Ruth Batista.

De acordo com Marina Bernabé, tratar este tema é fundamental. “A psicologia e os demais saberes não podem de forma alguma ser instrumentos que coadunem com o extermínio de jovens, principalmente os mais invisibilizados, como as infâncias e juventudes LGBT+. Para tal, é fundamental dialogar com as trabalhadoras e trabalhadores, estudantes e movimentos sociais sobre a diversidade sexual e de gênero. É através de espaços de diálogo, formação e construção conjunta que poderemos criar políticas que promovam e defendas os direitos da população LGBT, sobretudo daquela que não é adulta”, destacou.

Na ocasião, foi lançado ainda o livro da professora e doutora Irene Rizzini, da PUC-Rio, intitulado “Crianças e adolescentes em conexão com a rua: pesquisas e políticas públicas”.

 

Comentários no Facebook