Racha na Terceira Ponte: Famílias vão entrar com processos de indenização

0
Parentes levam caixão com o corpo da adolescente Brunielly, no cemitério do bairro Coronel Borges, em Cachoeiro (Foto: Alessandro de Paula / AT)
J. Regionalidades vc por dentro de tudo Publicidade Detran carnaval Publicidade

A emoção e os pedidos por justiça marcaram o enterro do motoboy Kelvin Gonçalves dos Santos, de 23 anos, e de sua namorada Brunielly Oliveira, de 17, na manhã desta quinta-feira (23), em Cachoeiro de Itapemirim, Sul do Estado.

Além de esperar que os acusados de terem causado o acidente, o advogado Ivomar Rodrigues Gomes Junior, de 34 anos, e o estudante de Engenharia Oswaldo Venturini Neto, de 22, respondam pelo crime, eles vão lutar por indenizações.

Publicidade Publicidade

“Nesse momento nada vai nos confortar, nem trazer ela de volta, mas queremos que as pessoas que fizeram isso sejam punidas e responsabilizadas. Amanhã (hoje) vamos conversar com um advogado”, afirmou o padrasto de Brunielly, o mecânico industrial Valdeir Soares Junior.

Abalada, a mãe de Kelvin, a cabeleireira Vilma Gonçalves, também disse que pretende entrar na Justiça contra os acusados para pedir indenização pela morte do único filho.

Segundo ela, Kelvin deixou dois filhos, uma menina de 1 ano e um filho de 3 meses, por isso busca a reparação para eles. “Quero indenização para mim também, já que ele me ajudava em casa”, revelou.

Enterro

O enterro de Brunielly foi às 9h50 no cemitério do Bairro Coronel Borges, área urbana da cidade. Já o motoboy Kelvin Gonçalves dos Santos foi sepultado às 11 horas no cemitério do distrito de São Vicente, zona rural de Cachoeiro.

Durante o sepultamento de Brunielly, familiares lamentaram. Uma delas foi a irmã mais nova, Victória Evelyn, de 10 anos, que afirmou que não teve muito tempo para conviver a vítima, mas que irá guardar as boas lembranças. “Foi muito duro e a única coisa que quero é que façam pela minha irmã e o namorado dela é Justiça”, declarou.

A mãe de Brunielly, Jucélia Carolina Alves Oliveira, de 38 anos, também pediu por Justiça.

“Meu coração está arrasado. Minha filha era uma menina nova e não fazia nada de errado. Saiu para lanchar, e vem umas pessoas e tiram a vida de minha filha. Eu quero justiça”.

Comentários no Facebook