Professores, populares e estudantes se reúnem contra fechamento de escola em Castelo

Escola funciona há 60 anos e falta de estrutura física seria uma das razões para o fechamento

0

Um grupo de professores se reuniu nesta terça-feira (10) com o prefeito interino de Castelo, o presidente do legislativo, Celsinho Callegário, e com o deputado estadual Alexandre Quintino, em busca de soluções para inibir o fechamento da Escola Estadual Emílio Nemer.

A informação inicial de que a Escola Estadual Emílio Nemer, conhecida como CETEC, teria seu funcionamento interrompido partiu por meio de boatos na cidade, foi quando um grupo de professores tiveram a confirmação por meio de lideranças políticas.

Publicidade Publicidade

Ao Jornal Regionalidades a professora de geografia, Viviane Colodetti, que atua no colégio aproximadamente há 12 anos, contou que mais de 60 profissionais que atuam na unidade receberam a notícia de terceira mão.

“Em momento algum fomos procurados por superiores, ficamos surpresos ao sermos indagados por pais de alunos, foi a partir daí que procuramos o prefeito interino em busca de soluções”, contou.

Ainda segundo a professora Viviane, há suspeita é que o colégio será fechado por não atender algumas normas técnicas em sua estrutura física.

“Conversamos com a superintendente de educação, em Cachoeiro, ela não confirmou o fechamento, mas também não negou. Disse que, inclusive, já estão realizando levantamentos da escola para a tomada de cisão. Além disso, a informação seria que a unidade não conta com estrutura apropriada para continuar o funcionamento”, lembrou.

O prefeito interino, Domingos Fracarolli informou que garante apoio aos representantes da instituição, pais e alunos, disse ainda que estará agendando uma reunião com o Secretário de Estado da Educação, Vitor de Ângelo, e o Governador, Renato Casagrande, para tratar o assunto.

Em nota, o presidente da casa de leis informou que também se coloca à disposição da escola e que não medirá esforços para a resolução do caso.

“Precisamos preservar a escola, são 60 anos de tradição, aprendizado e muita educação para nossos jovens, buscaremos um diálogo com o secretário estadual de educação, bem como com o governador Renato Casagrande, o mais breve possível”, disse, em nota, o presidente do legislativo, Celsinho Callegário.

Remanejamento

De acordo com a superintendência de educação, caso a escola venha a ser fechada, alunos atualmente matriculados na unidade serão remanejados para o Colégio Estadual João Bley.

Um ex-professor da unidade que preferiu não se identificar disse que o método a ser implantado, caso a escolha pare de funcionar, irá prejudicar literalmente o aluno.

“O que eles querem, querem unificar as classes do CETEC com as classes do João Bley, desta forma teremos salas de aula na outra unidade com mais de 50 e até mesmo 70 alunos. Não há dúvidas de que a qualidade do ensino vai cair”, ponderou.

CETEC – 60 anos de tradição e ensino de qualidade

A Escola Estadual Emílio Nemer, localizada no Centro de Castelo, foi fundada na década de 50 e já operou em todos os turnos [matutino, vespertino e noturno], atualmente conta com mais de 450 alunos e 60 profissionais, entre eles professores, pedagogos, serventes e etc.

Emílio Nemer está classificada como uma das melhores escolas públicas do Sul do Espírito Santo e a décima no Estado quando o assunto é qualidade de ensino.

Mobilização

Um encontro está marcado para acontecer no plenário da Câmara Municipal, em Castelo, nesta quarta-feira (11). O encontro está agendado para iniciar a partir das 19 horas e contará com a participação de populares, alunos, professores, servidores.

“Vamos nos reunir para definir os próximos passos que devemos tomar para impedir esta ação e também para dar uma satisfação aqueles que nos questionam, inclusive aos pais de alunos”, concluiu a professora Viviane Colodetti.

Além disso, um abaixo-assinado foi lançado e será encaminhado ao governado do estado, Renato Casagrande.

Confira o trecho de apresentação do documento:

Os cidadãos abaixo-assinados, brasileiros, residentes em Castelo, e adjacências, solicitam de Vossa Excelência o não fechamento da Escola Estadual Emilio Nemer, a fim de que os moradores dessa comunidade e adjacências não sejam prejudicados com a extinção da escola de ensino médio, além de que a referida escola é um marco de nossa comunidade, existindo a mais de 60 anos, sendo assim reconhecida pela sua qualidade e referencial educacional.

Revolta

Nas redes sociais, populares e ex-estudantes fizeram postagens em solidariedade. Foi o caso do ex-aluno João Guilherme Salve que escreveu: “peço um tempo de vocês para assinarem a petição contra o fechamento da Escola Estadual de Ensino Médio Emílio Nemer. Sou eternamente grato por todo o conhecimento que a Escola me proporcionou, que foi decisiva na minha formação pessoal e profissional. Lá fiz amizades que levo para a vida, convivi com professores excepcionais e com um ambiente acadêmico que evidenciou a força libertadora da educação”.

Em sua publicação, com uma foto e frase de Pitágoras, o internauta Gustavo Tosta Nicole, classificou a ação como absurdo e vergonhosa.

Já a educadora Beatriz Souza limitou em publicar o abaixo assinado em busca de novos apoios.

Até o final desta reportagem mais de 2.000 assinaturas já haviam sido coletadas.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.