O Núcleo Operacional Espírito Santo, do Programa de Qualificação para Exportação (PEIEX-ES), realizou a segunda reunião do Comitê Consultivo, na última quinta-feira (09), por meio de videoconferência. Além dos envolvidos na gestão do Núcleo ES e de entidades importantes para o desenvolvimento do Programa na região, o evento contou com a participação do representante da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) para a região Sudeste, Vinicius Estrela.

O PEIEX-ES é desenvolvido pela Apex-Brasil, em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes) e a Secretaria de Desenvolvimento (Sedes), com a finalidade de qualificar as empresas capixabas com potencial exportador para o mercado internacional.

Publicidade Publicidade

Durante o encontro on-line, o Núcleo Operacional do PEIEX-ES apresentou, para os representantes das instituições parceiras, um levantamento com dados do programa e os resultados conquistados durante um ano de atividade. Além disso, também foram definidas as próximas ações que serão realizadas em conjunto. A expectativa é de que essas reuniões de integração aconteçam semestralmente.

Em um ano de atividades, 187 empresas foram prospectadas, sendo que 126 assinaram o Termo de Adesão. Ao todo, 43 empresas já receberam o plano de trabalho e cinco receberam o Plano de Exportação.

O subsecretário de Estado para Atração de Investimentos e Negócios Internacionais da Sedes, e coordenador do PEIEX-ES, Gabriel Feitosa, considerou proveitosa a segunda reunião de integração do Comitê Consultivo com as entidades. “Aproveitamos esse encontro para definir as próximas ações a serem realizadas. A ideia é alcançar a meta de atender a 200 empresas neste ciclo do programa e, para isso, contamos com o apoio das entidades na divulgação do projeto e na realização de eventos setoriais voltados para atender às demandas específicas das empresas inscritas”, comentou.

Para o secretário de Estado de Desenvolvimento, Marcos Kneip, esse tipo de iniciativa estratégica com as instituições parceiras contribui para fortalecer as atividades que o PEIEX-ES desempenha junto às empresas, que desejam iniciar os negócios no mercado internacional. “Essa aproximação do PEIEX-ES com as instituições favorece o desenvolvimento da cultura exportadora no Espírito Santo. Esse suporte adicional facilita que o cronograma de atividades seja realizado e concluído com êxito”, disse Kneip.

São instituições parceiras do PEIEX-ES que participam do Comitê Consultivo: Secretaria de Agricultura, Abastecimento, Agricultura e Pesca (Seag); Universidade Vila Velha (UVV); Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo (Aderes); Serviço Social da Indústria (Sesi); Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai); Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes); Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae); Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes); Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes); Sindicato do Comércio de Exportação e Importação do Espírito Santo (Sindiex); Espírito Santo em Ação; e Banco do Brasil (BB).

O encontro contou com a participação do representante da Apex-Brasil para a região Sudeste, Vinícius Estrela; da gestora do núcleo PEIEX-ES, Anna Emília Arend dos Santos; e dos representantes das instituições parceiras, Juliana Gavini Uliana (Sesi-Senai); Jonas Lisboa (Seag); Luiz Fernando Leitão (Bandes); Alberto Gavini (Aderes); Luiz Toniato e Felipe Sardinha (Sebrae); Orlando Caliman (ES em Ação); Durval Vieira e Gustavo Rodrigues (Findes), além do coordenador do Núcleo PEIEX-ES, Gabriel Feitosa, e do monitor, Francisco Ramaldes.

Sobre o PEIEX-ES

O programa oferece às empresas, de forma gratuita, orientação técnica sobre as melhorias que a organização deve implementar para comercializar produtos e serviços no mercado internacional.

Sobre a Apex-Brasil

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) atua para promover produtos e serviços brasileiros no exterior, apoiar a expansão internacional das empresas brasileiras e atrair investimentos estrangeiros para setores estratégicos da economia brasileira. A Agência apoia, atualmente, cerca de 15 mil empresas em 80 setores da economia.

Comentários no Facebook