MPES constata 467 casos de pessoas com Covid-19 em Instituições de Longa Permanência de Idosos

0
EMPÓRIO MARCENARIA
J. Regionalidades vc por dentro de tudo Publicidade Detran carnaval Publicidade Agência Solução
SESA Aedes Aegipty Publicidade CORONAVÍRUS - SESA Publicidade CAMPANHA VACINAÇÃO GRIPE Publicidade Publicidade Publicidade MAIO AMARELO 2020 Publicidade EMPATIA NO TRÂNSITO Publicidade EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO JULHO/2020 Publicidade DENGUE NOV/2020 Publicidade BEBIDA E DIREÇÃO DEZ2020 Publicidade

O acompanhamento semanal realizado pelo Centro de Apoio Cível e Defesa da Cidadania (CACC) do Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES) constatou um total de 467 casos de pessoas contaminadas por Covid-19 em Instituições de Longa Permanência de Idosos (ILPIs) no Espírito Santo, até a sexta-feira (3 de julho). São 84 casos a mais em relação ao relatório anterior, que apresentou dados coletados até 26 de junho. Foram identificadas 252 pessoas idosas residentes nas instituições e 215 funcionários desses locais contaminados com o novo coronavírus. O número de óbitos entre idosos que permaneciam nas instituições chegou a 43, três a mais que no relatório anterior.

A verificação é realizada em ILPIs localizadas em 36 municípios do Espírito Santo. As cidades com mais casos de idosos residentes com a Covid-19 são Vila Velha (63), Vitória (54), Serra (33), Colatina (25) e Alegre (20). Já os municípios com maior número de trabalhadores com o novo coronavírus são Vila Velha (70), Vitória (35), Serra (30), São Mateus (14) e Guarapari (10).

Publicidade Publicidade

Uma constatação preocupante é que o crescimento percentual de Covid-19 no Espírito Santo, de 22 de maio até 3 de julho, foi de 382% (de 14.002 para 53.393 casos confirmados), enquanto o percentual de crescimento da doença nas ILPIs foi de 630%, de 40 para 252 casos de pessoas idosas residentes, no mesmo período. As cidades com maior registro de casos em uma semana foram Vitória (19 novos casos), Colatina (17) e Guarapari (11).

O Ministério Público Estadual tem feito esforços para que todas as instituições sejam abastecidas com os equipamentos de proteção individual (EPIs) necessários, bem como para que os funcionários sejam capacitados para enfrentar a pandemia. Tem requisitado, ainda, que os municípios adotem providências alternativas à institucionalização de novos idosos nas ILPIs já em funcionamento, uma vez que um novo acolhimento pode representar risco para os idosos já residentes.

Veja o relatório

Comentários no Facebook