Majeski volta a cobrar suspensão de repasses financeiros à Unale

0
Foto: Tati Beling/Ales

Um dia após a confirmação de que a Assembleia Legislativa (Ales) pretende seguir repassando recursos financeiros à União Nacional dos Legisladores e Legislativos (Unale), o deputado estadual Sergio Majeski (PSB) solicitou formalmente ao presidente, deputado Erick Musso (Republicanos), a suspensão dos pagamentos.

Além disso, também nesta terça-feira (10), Majeski protocolou o Projeto de Resolução nº 56/2019 para revogar a resolução nº 3.567, datada de 2013, que autoriza à Mesa Diretora a filiação e o repasse de contribuições da Ales à entidade, que é privada.

Publicidade Publicidade

“São valores consideráveis e qual o benefício que isso traz efetivamente para o estado e para a sociedade, que é quem paga no final das contas? Não vejo motivo nenhum para que se gaste mais dinheiro público como uma entidade onde não se observa qualquer benefício efetivo que possa ter proporcionado para o trabalho da Assembleia e sociedade. Eu repito sempre, não importa o valor, o dinheiro público precisa sempre ser cuidado com muito esmero, porque é o dinheiro da sociedade”, destaca o deputado Majeski.

Nesta segunda-feira (09), o Diário do Poder Legislativo trouxe a publicação de um Termo de Colaboração, com vigência pelos próximos dois anos, em que a Ales oficializa o repasse de R$ 273,4 mil à Unale.

Além deste novo valor, entre os anos de 2014 a 2018, a Unale já havia recebido pagamentos realizados pela Ales que somaram mais de R$ 921 mil.

Em dezembro de 2018, após grande polêmica com a revelação dos valores já pagos, a Mesa Diretora da Ales apresentou um projeto para revogar a resolução nº 5.985, aprovada poucos dias antes, que formalizava a contribuição periódica estatutária à entidade. Mas quase um ano depois, os repasses voltaram a acontecer.

Comentários no Facebook