As contas atrasadas podem causar problemas de saúde. Uma pesquisa do Instituto Locomotiva, que está sendo finalizada, mostrou que 54,8 milhões de adultos brasileiros têm o sono prejudicado por causa de dívidas. Ficar sem dormir pode trazer várias doenças, como insônia crônica e até depressão.

De acordo com a pneumologista Jessica Polese, especialista em sono, as preocupações do dia a dia afetam a qualidade do sono. “A noite é resultado de como a pessoa passa o dia. Se o dia é tranquilo, a probabilidade de se ter um sono tranquilo é maior. Mas, quando se tem um dia agitado, cheio de preocupações, é mais difícil”.

A médica Jessica Polese diz que as preocupações do dia a dia afetam a qualidade do sono (Foto: Thiago Coutinho/AT (23/04/2019))
A médica Jessica Polese diz que as preocupações do dia a dia afetam a qualidade do sono (Foto: Thiago Coutinho/AT (23/04/2019))
Publicidade Publicidade

Então, segundo ela, é muito comum perder o sono devido às contas para pagar. Mas ter o sono afetado com frequência por causa das dívidas pode levar à insônia crônica. “A pessoa também pode ter baixa concentração e memória ruim, o que acaba prejudicando até mesmo a maneira de resolver a dívida”.

De acordo com a pesquisa, não é só o sono que é prejudicado pela dívida. Conforme o estudo, 54,1 milhões de brasileiros têm a autoestima afetada; 53,5 milhões, o rendimento profissional; e 45,3 milhões observam queda no apetite.

Segundo a psicóloga Cristiane Palma, as dívidas podem atrapalhar o sono porque, com as preocupações, as pessoas não conseguem entrar no chamado sono REM (do inglês, movimentos rápidos dos olhos), que é o mais profundo, que restaura. “Podemos ter prejuízos como irritação, mau humor, alterações no apetite, dificuldades de concentração e foco, baixa produtividade e pouca atenção. A sensação de ser um devedor é horrível para algumas pessoas, porque nos deixa sentindo culpados, como se estivéssemos sendo irresponsáveis”.

Segundo ela, algumas atitudes podem aliviar a falta de sono por causa das dívidas. “Quebrar o cartão de crédito; fazer uma tabela de gastos fixos e extras, para não gastar além do que se ganha; fazer o que se gosta e que não envolva dinheiro, são alguns exemplos”.

A psicóloga Marcelle Paganini ressaltou que é preciso ficar atento aos motivos que levaram as pessoas às dívidas, pois eles podem ser sintomas de problemas psicológicos ainda maiores, como depressão e compulsão por comprar. “As dívidas podem sinalizar até um problema de depressão. É preciso analisar os gastos e tentar perceber quais foram os motivos deles, para que não se torne um ciclo vicioso”, disse.

Estresse por dormir pouco

A falta de concentração, o mau humor e o estresse no dia a dia podem estar ligados à qualidade do sono. Uma pesquisa publicada no periódico Sleep Health (do inglês, Saúde do Sono) mostrou que uma redução pequena no tempo de descanso já tem efeitos negativos na produtividade do dia seguinte.

Feito com 130 profissionais de uma empresa norte-americana de tecnologia, o estudo mostrou que apenas 16 minutos a menos de sono já fazem diferença no rendimento do trabalho.

Nos dias seguintes às noites com menos horas de sono ou com sono de má qualidade, os trabalhadores reportaram mais interferência cognitiva. Em média, dormir 16 minutos a menos que o usual já representava piora no nível de concentração.

O servidor público e síndico profissional Leandro Polonini, 37 anos, contou que, além dos dois trabalhos, tem de cuidar dos dois filhos e que, por isso, o sono está prejudicado. O reflexo disso é a falta de concentração e pouco rendimento em algumas horas do dia.

o servidor público Leandro Polonini dorme pouco e tem falta de concentração (Foto: Thiago Coutinho/AT)
o servidor público Leandro Polonini dorme pouco e tem falta de concentração (Foto: Thiago Coutinho/AT)

“Durante a semana, em pelo menos dois ou três dias, durmo só quatro horas por noite. Tento compensar dormindo oito horas no dia seguinte, mas sinto que a falta de sono atrapalha muito, principalmente nas atividades de escritório, quando preciso de mais concentração. Por várias vezes, o sono pega de surpresa”, disse.

De acordo com a pneumologista e especialista em sono Jessica Polese, é menos prejudicial perder tempo no início do sono. “O final do sono é quando acontece o sono reparador. Então, acordar antes do que é de costume, é mais prejudicial, pois prejudica o desempenho no dia a dia”.

Dicas para dormir melhor

Resolva o problema

  • Se a falta de sono acontece por causa das dívidas, é preciso resolver o problema. Enquanto ele não se resolve por completo, a pessoa precisa mostrar para o cérebro que está buscando formas de resolver, com trabalho extra, parcelamento da dívida, empréstimo ou, até mesmo, procurando ajuda profissional.

Tenha rotina

  • Uma rotina ajuda a melhorar o sono, assim como preparar o ambiente para dormir. Tirar iluminação do quarto, cama de qualidade e um clima agradável são algumas das opções para a preparação do sono.

Evite telas

  • Antes de se deitar para dormir, evite consultar e-mails, olhar mensagens de aplicativos ou ficar com a televisão ligada.
  • A luz das telas atrapalha o sono, além de aumentar a ansiedade e preocupação com os problemas.

Bons hábitos

  • Fazer exercícios, evitar cafeína à noite e evitar dormir muito durante o dia são alguns bons hábitos que contribuem para melhorar a noite de sono.

Fonte: Especialistas consultados.

Reportagem: Lorrany Martins/AT

Comentários no Facebook