A procuradora-geral de Justiça do Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), Luciana Andrade, participou na quarta-feira (01/07) de uma entrevista virtual promovida pelo programa “Direito ao Direito”, do site Folha Vitória, para falar do Pacto pela Vida, mobilização mediada pelo MPES que busca o engajamento dos cidadãos no combate e prevenção à Covid-19. Na live, conduzida pelo secretário-geral adjunto e corregedor-geral da Ordem dos Advogados do Brasil seccional Espírito Santo (OAB/ES), Rodrigo Carlos de Souza, Luciana Andrade destacou a grande audiência pública virtual, promovida na última sexta-feira (26/06), para firmar o Pacto pela Vida com a sociedade capixaba.

Para Luciana Andrade, a população capixaba precisa se unir contra um “inimigo comum”, que é a pandemia do novo coronavírus. “Além das medidas que o Estado e os municípios devem adotar, a população precisa ser engajada nesta luta, que é de todos. Não adianta a gente ter leito hospitalar e não saber se vai sair dele com vida. O Ministério Público está fazendo o seu papel de fiscal, de provocar o poder público, de acompanhar, de propor ações, mas também está conclamando toda a população capixaba neste engajamento de combate e prevenção à Covid-19. Devemos adotar medidas simples como o uso da máscara, a higienização das mãos, manter o distanciamento social e não fazer aglomerações para prevenir a doença”, enfatizou a procuradora-geral de Justiça.

Publicidade Publicidade

A audiência pública virtual, capitaneada pelo MPES, contou com a participação de lideranças comunitárias, religiosas e políticas, médicos, formadores de opinião, representantes de associações, de organizações sociais e de diferentes segmentos da sociedade, dando voz à pluralidade capixaba. Cerca de 3 mil pessoas prestigiaram a audiência online, com aproximadamente mil manifestações cadastradas. Muitas das manifestações abordaram o transporte coletivo cheio, praias lotadas, mães que precisam trabalhar e os filhos estão sem escola, pediam melhoria da atenção primária, que é aquela quando a pessoa tem o primeiro contato com a doença, e a maior necessidade de testagem, para saber quem está e quem não está com a Covid-19.

A procuradora-geral de Justiça ressaltou que as informações colhidas durante a audiência públicas estão sendo sistematizadas e permitirão ao MPES apresentar notas públicas em relação aos temas relacionados à pandemia.

Segue link para o vídeo da live: https://bit.ly/2D1FgFl

Comentários no Facebook