A Lagoa do Batista, um dos principais pontos turísticos de Marilândia, situada na rodovia que leva à Colatina, anda esvaziada após serem afixadas placas informando que o local é impróprio para banho, isso aconteceu depois de um suposto ataque de piranhas, a informação é da empresária Leonor Mattede, que adorava o lugar, mas se diz com receio de frequentar o local.

Moradores da região reclamam de prejuízo na economia e do descaso da prefeitura de Marilândia em não tomar providências quanto à solução do impasse sobre a definição do polo turístico.

Segundo à prefeitura o caso compete ao Ibama, que já foi notificado para investigar o caso (Foto: Reprodução/Rede Gazeta)
Publicidade Publicidade

Jackson Baptista diz que a prefeitura deveria incentivar  o turismo local. “Não existe uma interdição, mas existem placas informando que o local é impróprio para banho. Nunca houve interesse de órgãos de controle em investigar ou orientar a população”, reclamou.

Já para a dona de um dos bares da região, dona Ema, a lagoa continua aberta normalmente. “Nosso Bar Recanto da Lagoa funciona normalmente há 12 anos, é muito raro, há 10 anos os atletas de Colatina vem treinar aqui nunca aconteceu nada atravessam a Lagoa todo domingo, nosso movimento é normal todos que vem tomam banho normalmente nunca fechei meu Bar por conta disso”, ressaltou.

A assessoria do gabinete da prefeitura de Marilândia informou à nossa reportagem que não compete à prefeitura a fiscalização dessa natureza, mas que o Ibama foi notificado para realizar as investigações.

O vereador Adilson Reggiani disse que vai protocolar um ofício pedindo um estudo sobre a situação da Lagoa do Batista. “ A população têm que saber se há ou não perigo ao banhista, só um estudo vai dizer” Explica.

Entramos em contato por email com o Ibama, mas não tivemos retorno até o fechamento desta reportagem.

Comentários no Facebook