A vice-governadora Jaqueline Moraes concedeu, nesta quinta-feira (01), entrevista coletiva a estudantes do 22º Curso de Residência em Jornalismo da Rede Gazeta. A atividade, que aconteceu no Palácio da Fonte Grande, em Vitória, tem o objetivo de fazer com que os alunos vivenciem a experiência real de comportamento – elaborando/propondo perguntas a um entrevistado e produzindo conteúdo jornalístico a partir deste evento – durante a prática da modalidade entrevista coletiva jornalística.

Jaqueline Moraes conversou por cerca de uma hora com os 12 estudantes e diversos assuntos foram abordados, como empreendedorismo feminino, políticas públicas para as periferias e o plano de ação até 2022, o chamado Agenda Mulher. A trajetória pessoal da vice-governadora, da infância até o início da vida como camelô no Centro de Vitória, também foi tratada no encontro. Ela falou ainda sobre os filhos e da emoção de ter sido escolhida pelo governador Renato Casagrande como vice.

Publicidade Publicidade

Na entrevista, a vice-governadora falou sobre as ações já desenvolvidas e dos desafios propostos até 2022. “Começamos com uma agenda aqui para as mulheres. E durante todo o mês de março, fizemos várias ações mobilizando grande parte das mandatárias de todo o Estado. Criamos, então, o programa Agenda Mulher, com o objetivo central de empoderar as mulheres capixabas através do empreendedorismo”, disse.

Líderes comunitários

O perfil de militância de Jaqueline Moraes também foi trabalhado na conversa. Por ter atuado como líder comunitária, no bairro Operário, em Cariacica, a vice-governadora se estabeleceu como referência em sua comunidade, dando voz aos problemas dos moradores. “Quando você chega a um cargo nesse nível e tem uma referência de onde veio, você consegue conversar com o povo e promover políticas públicas. Eu represento essa descida da estrutura de poder para a base. Eu lutava para ter voz e agora tenho autonomia. Sinto-me representante direta do povo. E tenho, no centro do poder, um olhar para as comunidades”, afirmou.

Curso de Residência

Sobre a experiência de encarar uma entrevista coletiva com os jovens residentes, a vice-governadora avaliou como uma ação proveitosa e a dinâmica como extremamente válida tanto para ela, quanto para os estudantes. “A troca de experiências é enriquecedora. Além de termos a possibilidade de exercitar, na prática, os desafios que vamos encontrar. Eu no exercício diário do poder e eles por já estarem vivenciando o exercício da profissão”.

Comentários no Facebook