Unidades do Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo (Iases) estão produzindo máscaras de pano para prevenção ao novo Coronavírus (Covid-19). A produção acontece nas Regionais Norte do Estado, em Linhares, e na Unidade Feminina de Internação (UFI), em Cariacica.

As máscaras produzidas serão doadas aos servidores. A previsão é que mais de mil unidades possam ser destinadas aos profissionais da socioeducação, com o objetivo de atender à orientação do Ministério da Saúde (MS) de priorizar as máscaras cirúrgicas para o uso dos profissionais de saúde.

Publicidade Publicidade

Na Regional Norte, os insumos para a produção, como elásticos e tecidos, foram doados por servidores e fábricas de roupa da região. As máscaras contam com duas camadas e estão sendo confeccionadas com Tecido Não Tecido (TNT), Oxford e outros tipos de panos oriundos das doações.

A produção acontece com a participação dos servidores e adolescentes das unidades socioeducativas. O gerente da Unidade de Internação Norte (Unis Norte), Sérgio Antônio Durão de Almeida, destacou a satisfação dos envolvidos em contribuir no combate à doença. “A dedicação dos profissionais e dos adolescentes em participar deste movimento em prol da proteção de todos é nossa grande motivação. Se cada um fizer a sua parte, conseguiremos vencer esta pandemia”, destacou.

O gerente ainda ressaltou que a máscara é uma proteção a mais dentre as outras medidas que já vem sendo adotadas pelo Iases para evitar a contaminação no sistema socioeducativo. Dentre elas, a assepsia correta das mãos, o distanciamento social, a higienização dos calçados na portaria das unidades socioeducativas, além da suspensão das visitas familiares e a proibição de entrada nas unidades socioeducativas de qualquer pessoa que apresente sintomas de síndrome gripal.

A subgerente de Saúde do Iases, Graziele Rodrigues da Silva Duda, destacou que a máscara de pano é um equipamento simples, que não exige grande complexidade em sua produção, mas uma grande aliada no combate à propagação do vírus.

“O uso das máscaras caseiras é mais uma proteção junto às demais orientações do Ministério da Saúde, como o distanciamento social, a etiqueta respiratória e higienização das mãos. Essas medidas, quando adotadas em conjunto, potencializam os efeitos da proteção contra o vírus e por isso são tão importantes de serem adotadas por toda a população”, disse.

Orientações para uso da máscara caseira

Para ser eficiente como uma barreira física, a máscara caseira precisa seguir algumas especificações de produção e higiene: a máscara deve ter pelo menos duas camadas de pano e o seu uso deve ser individual, devendo ser produzida em medidas adequadas para que fique ajustada no rosto e cubra totalmente nariz e boca. A orientação é que a máscara deve ser trocada a cada a cada duas horas ou, antes disso, caso fique úmida ou apresente sinais de sujidade.

Para a higienização, o MS orienta que as máscaras sejam deixadas de molho em água sanitária por cerca de 20 minutos e, após, lavadas com água e sabão.

Enquanto estiver sendo utilizada, a máscara não deverá ser tocada com as mãos. Após seu uso, a máscara deverá ser removida pegando pelo laço ou nó da parte traseira, evitando tocar na parte da frente.

Comentários no Facebook