Pelo menos 1.356 idosos com idade acima de 60 anos tiveram que voltar para casa sem a vacina contra a Covid-19 neste domingo (18) em Castelo.

Publicidade Publicidade

Uma castelense que pediu para não ser identificada disse que foi para o local de vacinação acompanhando a tia por volta das 08 horas da manhã e ao chegar já não conseguiu mais ser atendida devido ao número restrito de doses disponíveis.

Indignada, a jovem relatou que só conseguiram ser imunizados quem “dormiu” na fila. “Aqueles que madrugaram lá [na fila] conseguiram a dose, então quem chegou as 8 horas ficou sem pois já tinha acabado. A indignação é que eles [prefeitura] falaram que iria começar a vacinar as 8 horas e que não precisava madrugar na fila”, contou.

Procurada pela reportagem do Jornal Regionalidades a prefeitura disse que 1244 pessoas foram imunizadas e que o município conta com um população de aproximadamente 2600 idosos na faixa etária de 60 a 65 anos. Já o prefeito de Castelo, João Paulo Nali (PTB) afirmou que a vacinação vem sendo um desafio enfrentado por todos os municípios e pediu para que a população tenha paciência, uma vez que a faixa etária de 60 a 65 anos tem um número maior de pessoas.

“A vacinação é um desafio para os municípios e a população precisa ter paciência em relação a quantidade de doses que vêm do Governo Federal. Nosso município hoje possui equipe capaz de vacinar com velocidade e eficiência, porém a falta de doses suficientes para o público alvo limita nosso trabalho. Para preservar a igualdade entre as pessoas fizemos mais uma vez o modelo de vacinação em pedestres e nos que vieram através de veículos, vez que o agendamento limita as pessoas que não possuem acesso a tecnologia e atrasa muito a vacinação”, concluiu.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorO festival indiano que atrai multidões em meio a devastadora segunda onda
Próximo artigoGoverno recua e diz que políticos não tentaram invadir ala de hospital em SP
Elan Costa
Elan Costa é jornalista sob o registro MTE 3512/ES, articulista, marqueteiro político e estudante de direito. Atuou na Gerência de Jornalismo e Relações Públicas da Prefeitura de Guarapari, trabalhou como Jornalista Correspondente do Jornal A Tribuna, no Noroeste do ES, foi coordenador de comunicação na Câmara Municipal de Santa Teresa, assessor de comunicação na Amunes - Associação dos Municípios do ES -, e assessor político em diversos órgãos. É marqueteiro político, tendo atuado na campanha eleitoral para prefeito, em 2016, para deputado estadual em 2018, e novamente para prefeito e vereadores, em 2020. É fundador e proprietário do Jornal Regionalidades.

Comentários no Facebook