Iases realiza mutirão para regularizar documentação civil dos socioeducandos

0
Quinze adolescentes participaram da ação, que coletou dados, documentos e impressões digitais para a confecção da Carteira de Identidade (RG).
EMPÓRIO MARCENARIA
J. Regionalidades vc por dentro de tudo Publicidade Detran carnaval Publicidade Agência Solução
SESA Aedes Aegipty Publicidade CORONAVÍRUS - SESA Publicidade CAMPANHA VACINAÇÃO GRIPE Publicidade Publicidade Publicidade MAIO AMARELO 2020 Publicidade EMPATIA NO TRÂNSITO Publicidade EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO JULHO/2020 Publicidade DENGUE NOV/2020 Publicidade BEBIDA E DIREÇÃO DEZ2020 Publicidade

Adolescentes que cumprem medida socioeducativa na Unidade de Internação Metropolitana (Unimetro) tiveram a oportunidade de regularizar sua documentação civil nesta terça-feira (02). Profissionais do Departamento de Identificação da Polícia Civil estiveram no local para um mutirão de cidadania, que expediu carteiras de identidade para quinze socioeducandos.

A ação é resultado da parceria entre o Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo (Iases), por meio de sua Gerência Técnica (Getec), e a Polícia Civil do Estado do Espírito Santo (PCES).

Publicidade Publicidade

Durante o mutirão, que teve início às 8 horas, foram coletados dados, assinaturas e impressões digitais dos adolescentes para a confecção da Carteira de Identidade (RG), que foi emitida no local e será entregue aos familiares. De acordo com a perita oficial criminal da Polícia Civil, Nádia Ferreira, a iniciativa garante eficiência no acesso à documentação civil, já que todo o processo é feito na própria unidade. “Isso traz celeridade e garante o direito à cidadania dos socioeducandos”, afirmou.

Ainda neste mês, no dia 18, está prevista a realização de outro mutirão, nas Unidades de Internação Socioeducativa (Unis), Unidade Feminina de Internação (UFI) e nas Unidades de Internação Provisória I e II (Unip I e II), que deve atender mais de 50 adolescentes.

O gerente técnico do Iases, Rômulo Telles, destacou que o acesso à documentação civil reforça o papel do socioeducando como um sujeito de direitos e deveres. “O acesso à documentação civil, como RG, CPF, Título Eleitoral, Carteira de Trabalho, dentre outros indispensáveis à vida em sociedade, é um direito garantido aos socioeducandos pelo Estatuto da Criança e do Adolescente”, lembrou.

Comentários no Facebook