Galeria Homero Massena recebe debate sobre atuação de artistas negros

0

 

Como se configura a produção de artistas visuais negros no país e destes, quantos são aqueles que circulam pelas galerias de arte e os museus brasileiros? Esta e outras questões vão fazer parte do próximo debate do “Módulo I: Arte, Sociopolítica E Corporeidades”, na Galeria Homero Massena, no dia 17 de julho às 19h.

Publicidade

O encontro vai contar com a presença do pesquisador e sociólogo carioca Guilherme Marcondes e integra o Programa de Pesquisa e Formação da Galeria. A conversa parte das questões postas pelo pesquisador em seu projeto de pós-doutorado, “Legitimação, Disputas e Narrativas dos (as/xs) Artistas Visuais Negros (as/xs) da Arte Contemporânea”, em andamento no Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará (PPGS/UECE).

De acordo com Guilherme Marcondes, a pesquisa investiga as regras estabelecidas no campo da arte contemporânea perante a legitimidade da sociedade em relação a esses artistas através da continuidade de seus trabalhos (em livros, exposições e palestras, por exemplo).

“Em minhas pesquisas os processos de legitimação do universo artístico são focalizados, assim, no doutorado, realizei uma pesquisa sobre estes jovens artistas da arte contemporânea. A minha ida à Vitória se apresenta como uma oportunidade fundamental para partilhar os processos de pesquisa para um grande público e contribui para que eu entre em contato com o circuito de arte capixaba, um Estado que ainda não tive a oportunidade de conhecer”, explica o pesquisador.

Guilherme Marcondes também elogia o espaço reservado para pesquisa e cultura no Espírito Santo. “Poder ver de perto o trabalho da Homero Massena será enriquecedor, por se tratar de um espaço que tem se dedicado a inserção de jovens artistas no campo da arte”, enfatiza. O evento tem apoio da casa de residência artística Casa Tutti, da artista e produtora cultural Kyria Oliveira.

Módulo I: Arte, Sociopolítica E Corporeidades

Ação que integra o projeto de pesquisa “Processo: Criação Crítica Mediação”. Coordenado pela professora Rízzia Rocha e pelo coordenador de Artes Visuais da Galeria Homero Massena, Nicolas Soares, o módulo pretende acompanhar o calendário de exibições da GHM analisando as diversas questões destas obras no campo da arte.

O curso utiliza o apontamento das questões trabalhadas na exposição em exibição, “O Trauma é Brasileiro”, da artista Castiel Vitorino Brasileiro, como mote do debate e desenvolve estudo de bibliografias, além de análise de práticas e movimentos artísticos, imagens e vídeos.

De acordo com Nicolas “estamos em um momento muito oportuno para pensar como nós, artistas e pesquisadores negros e negras, estamos nos percebendo no sistema e no campo da arte. Quais tem sido os encontros ou o que temos negociado por esse reconhecimento? A pesquisa de Guilherme Marcondes me parece potente na expectativa de mapear o que estes artistas têm produzido em arte contemporânea no país, não só quantitativamente, mas principalmente como elo das múltiplas possibilidades discursivas e imagéticas que podemos alcançar”, enfatiza.

Serviço:

Curso Módulo I: Arte, Sociopolítica e Corporeidades

Encontro com Guilherme Marcondes

Data: 17 de julho, quarta-feira.

Horário: 19h

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.