EUA pressionam Brasil para vetar entrada da Huawei no mercado do 5G

0
source

Olhar Digital

Huawei arrow-options
Marcos Corrêa/PR

Presidente Jair Bolsonaro recebe placa do presidente-executivo da Huawei no Brasil, Yao Wei


Publicidade Publicidade

Ao longo de todo o ano de 2019, os EUA se mostraram contrários à qualquer tipo de expansão da Huawei . A postura norte-americana não é diferente quando se trata de ações da empresa no Brasil . Por isso, o governo dos EUA intensificou o lobby contra a entrada da empresa no mercado brasileiro do 5G . O leilão da nova tecnologia está previsto para o próximo ano .

Donald Trump e seus representantes têm aproveitado reuniões com autoridades brasileiras para levantar preocupações sobre a segurança dos equipamentos da Huawei , que estariam, segundo eles, suscetíveis a ataques cibernéticos ou espionagem.

Leia também: Quando o 5G chega ao Brasil? Anatel adia abertura de edital mais uma vez

Pensando nesse tipo de postura por parte do governo americano, o novo presidente-executivo da Huawei no Brasil, Yao Wei , se encontrou com o presidente Jair Bolsonaro no Planalto, na última segunda-feira (18).

Como resposta, os americanos fizeram chegar a auxiliares do presidente brasileiro o recado de que o aprofundamento da parceria na área de defesa depende de garantias de que as telecomunicações usadas pelo Brasil sejam confiáveis.

A Huawei é hoje a principal fornecedora de equipamentos de rede de telefonia no mundo, e protagonista no avanço da rede 5G .

Leia também: Huawei produz 5G sem componentes americanos

Em nota, o governo americano afirmou que a entrada dos chineses nessa área traz diversas “implicações de segurança “. “Permitir equipamentos de telecomunicações chineses em qualquer ponto de uma rede 5G cria um risco inaceitável para a segurança nacional, infraestrutura, privacidade e direitos humanos”, afirmou a missão diplomática.

Na primeira visita oficial a Bolsonaro , o executivo da Huawei garantiu que a empresa quer ser fornecedora para as redes 5G e que seus equipamentos são seguros.

Ontem (18) o governo americano estendeu a licença à Huawei por 90 dias, mas isso não foi suficiente para que os chineses se dessem por satisfeitos.

Comentários no Facebook