Espírito Santo vai ganhar sede de aceleradora canadense de fintechs para público de baixa renda

0
Foto: Leandro Braga/Vice-Governadoria

O Espírito Santo vai ganhar uma sede da empresa Holt Accelerator, uma aceleradora canadense focada em empresas de finanças no mundo digital com linhas específicas para o público de baixa renda. Na manhã desta sexta-feira (1º), a governadora em exercício Jaqueline Moraes assinou o termo de intenções entre o Estado e a empresa para a abertura da nova sede. As negociações continuam com o objetivo do aporte de R$ 100 milhões em dez projetos a serem selecionados em todo o mundo, mas que deverão ser desenvolvidos no Espírito Santo.

A empresa existe desde 2017 e virá para o Espírito Santo através do empenho do Instituto Brasileiros de Economia e Finanças (Ibef-ES) e de empresários capixabas do ramo de tecnologia. A proposta da Holt é de apostar no público que ainda não tem acesso a bancos digitais. Uma pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva revelou que 45 milhões de brasileiros estão “desbancarizados”.

Publicidade Publicidade

“A Holt tem um modelo canadense de estratégia financeira mais voltada para as questões sociais. Temos o objetivo de investir em projetos que atendam a toda a população e que não seja excludente, que atendam, principalmente, ao público de baixa renda”, explicou Leif Erik Hvide, representante da aceleradora.

Antes de avançar nas negociações com o Espírito Santo, o grupo cogitou se instalar em São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Minas Gerais. No entanto, o Estado teria sido escolhido pela maior estabilidade econômica, a menor concorrência na área das finanças digitais e pela qualidade de vida, que pode atrair desenvolvedores de tecnologia.

“O Governo está animado com a vinda dessa aceleradora que pode atrair recursos de fundos do mundo inteiro. A expectativa é de que o Espírito Santo entre para esse fluxo do mercado de tecnologia e possa atrair outras empresas do setor para cá”, disse a governadora em exercício Jaqueline Moraes após conduzir as negociações.

Em agosto, também como governadora em exercício, Jaqueline Moraes realizou a primeira reunião com a empresa. Coincidentemente, agora no início de seu segundo exercício como governadora, foi ela quem assinou a ata com os termos de intenção.

O subsecretário de Atração de Investimento e Negócios Internacionais da Secretaria de Desenvolvimento (Sedes), Gabriel Martins Feitosa, ressaltou que a vinda da aceleradora de fintechs se enquadra nos objetivos do Governo: “Dentro da tríplice hélice: do setor produtivo e da academia para desenvolver o ecossistema capixaba. Nós estamos com a missão de criar mil startups em dez anos. Programas de aceleração, como esse da Holt, vão ser fundamentais no alcance desses resultados.

Também participaram da reunião, o secretário de Estado de Economia e Planejamento, Álvaro Duboc; o diretor de Inovação da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), Elton Siqueira Moura; o presidente do Ibef/ES, Alessandro Dadalto; o assessor da Vice-Governadoria, Odmar Péricles; o assessor da Secretaria da Fazenda (Sefaz), Carlos Alberto Silva Santos; o assessor da Secretaria de Estado de Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), Felipe Alves; e os empresários, Mariana Mansur, Fernando Rivera, Antônio Carlos Bárbara, Augusto e João Brunow.

Comentários no Facebook