Dança dos vices: Paulo Ivan e Gerson Piassi lideram a lista dos mais cotados

0
Gerson Piassi (DEM) e Paulo Ivan (PV) lideram a lista para concorrer a cadeira de vice-prefeito, em Castelo.

Naturalmente as atenções estão voltadas para os candidatos chamados “cabeça de chapa”, até porque são eles quem assumirão o cargo de prefeito, caso sejam eleitos.

Mas o que muitos se esquecem é o quanto é indispensável a figura do candidato a vice-prefeito durante o pleito eleitoral.

Publicidade Publicidade

Apesar de não terem muitas funções oficiais para além de substituir o titular do cargo, a existência do vice é muitas vezes ignorada, o que no momento não é o caso do município de Castelo, já que pelo menos 46% do eleitorado reside no interior do município.

Relacionamento interpessoal, boa comunicação e carisma, principalmente no interior, além de ser “bom de voto” são algumas das características que o candidato a vice precisa ter.

João Sasso, Celso Marcolan, que também é avaliado pelo partido para lançar candidatura  a prefeito, Renato do açougue, Paulo Ivan Casagrande, Renato Côgo, Gerson Piassi, Dimas Luzório, Camilo Destefani, Everton, Celsin Calegário, e até mesmo o prefeito interino, Domingos Fracarolli, faz parte da lista entre os mais cotados para a ocupar a cadeira de vice prefeito neste mandato-tampão, em Castelo.

De acordo com informações obtidas pela redação do portal do Jornal Regionalidades, o vereador e parapsicólogo, Paulo Ivan Casagrande (PV), e o vereador Gerson Piassi (DEM), são os nomes mais assediados até o momento.

O parapsicólogo informou que a grande possibilidade de formar chapa com o então pré-candidato a prefeito do município, João Paulo Nali, do PTB. “A possibilidade de uma vice está praticamente certa de ser do João Paulo. Tanto Jair como João são bons nomes. Jair como prefeito, em meio as suas dificuldades, fez um trabalho muito bom em Castelo, porém João Paulo representa o nome que Castelo precisa”, ponderou.

Ainda de acordo com o vereador Paulo Ivan Casagrande, caso seja eleito vice-prefeito de Castelo, pretende atuar na área da saúde emocional, junto aos munícipes de Castelo, trabalho este que vem desenvolvendo há pelo menos 11 anos. O vereador ressaltou também a importância de atuar no interior do estado em melhoria às estradas rurais e também na área da educação.

Resta para Paulo Ivan, vereador mais votado em 2016, uma posição partidária, já que seu presidente estadual ocupa posição de alto escalão no governo do socialista castelense, Renato Casagrande, pessoa que também deve agitar o tabuleiro político na cidade, caso declare apoio a um dos candidatos já escalados. 

Em entrevista a redação do Jornal Regionalidades, o democrata, Gerson Piassi afirmou que, se depender dele [Gerson Piassi] a chapa já está formada com Jair Ferraço, pré-candidato pelo PSD.

“Hoje eu defendo o Jair Ferraço, bem ou mal ele foi um prefeito e sabe como funciona. Na sua época a saúde e o interior não pararam, além disso ele deu a data passe ao funcionalismo, o que hoje também é de extrema importância que acontece, já que Castelo está defasada há três anos”, contou.

Questionado sobre o perfil do próximo gestor do município, Gerson salientou que “Castelo está no CTI” e mais do que nunca precisa de um gestor técnico.

 “Não adianta ser técnico e não conhecer a máquina pública, nós precisamos de um técnico. Em fevereiro abre o orçamento e em maio já não pode licitar e nem inaugurar mais nada. Quem entrar neste mandato-tampão tem que esquecer as eleições de 2020 [ano que vem]”, completou.

Gerson informou a redação que esteve em Vitória, na capital do Estado, em conversa com o deputado estadual Theodorico Ferraço, presidente estadual do Democratas, e que obteve “carta branca” para caminhar com Jair.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.