Consumidor poderá renegociar dívidas bancárias pela internet até o dia 30 de setembro

0

Por meio do site ou do aplicativo consumidor.gov.br os consumidores poderão renegociar dívidas bancárias até o dia 30 de setembro com as empresas participantes. Essa é uma iniciativa da Associação Brasileira de Procons (ProconsBrasil) e da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e tem o objetivo de auxiliar o cidadão a buscar soluções para recuperar seus créditos.

O consumidor que possuir uma dívida com o Banco do Brasil, o Santander, o Bradesco, a Caixa Econômica Federal, o Itaú e o BMG poderá negociá-la diretamente com as empresas, via portal, com condições especiais.

Publicidade Publicidade

Para negociar, o consumidor deverá acessar a plataforma www.consumidor.gov.br, fazer o seu cadastro que irá gerar um login e senha. Ao registrar a demanda, no campo “problema”, optar pela Renegociação/parcelamento de dívidas, e no corpo do seu relato (no início ou no final) fazer uso da hastag #MutirãoProconsBrasil para facilitar a identificação dos atendimentos.

A diretora-presidente do Procon-ES, Lana Lages, informou que o Procon-ES vai monitorar as negociações de dívidas realizadas pela plataforma www.consumidor.gov.br, durante o Mutirão de Renegociação de Dívidas Bancárias, promovido pela Associação ProconsBrasil.

“A negociação on-line é uma facilidade e comodidade para o consumidor que não quiser ou puder comparecer pessoalmente à sede. Os serviços on-line são uma tendência e o Procon-ES apoia essa iniciativa”, disse.

Consumidor.gov.br

Por meio do site www.consumidor.gov.br é possível registrar reclamações e solucionar os problemas de consumo diretamente com as empresas em até 10 (dez) dias. Além de registrar a insatisfação, o consumidor também pode consultar o índice de reclamação e resolutividade das empresas inscritas no serviço, o prazo médio para resposta e a avaliação de outros consumidores sobre a satisfação com o atendimento. Concluído o atendimento é muito importante que o consumidor faça a sua avaliação.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.