Castelo é alvo da Polícia Federal em operação contra roubo e venda de peças de veículos

0
EMPÓRIO MARCENARIA
J. Regionalidades vc por dentro de tudo Publicidade Detran carnaval Publicidade Agência Solução
SESA Aedes Aegipty Publicidade CORONAVÍRUS - SESA Publicidade

A Polícia Federal deflagrou na quarta-feira (18/3) a Operação Verus Dominus, cujo objetivo é buscar desarticular quadrilha especializada em roubo e comercialização de partes e peças de veículos. O esquema criminoso conta com o aval de facção criminosa que opera nos presídios paulistas.

As ações policiais, que contam com o apoio de policiais rodoviários federais especialistas em identificação veicular, ocorrem nas cidades de Arapiraca (AL), Barreiras (BA), Goiânia e Aparecida de Goiânia (GO), Castelo (ES), Sinop (MT), Erechim (RS) e São Paulo, Guarulhos e Mogi das Cruz (SP).

Publicidade Publicidade

Foram mobilizados cerca de 60 policiais para dar cumprimento a 15 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 2ª Vara de Organizações Criminosas e Lavagem de Dinheiro, do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

A investigação foi iniciada a partir da troca de informações entre Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal. Em diligências realizadas no curso da apuração, intervenções policiais nas rodovias federais revelaram que diversas partes de veículos estavam sendo encaminhadas a outros Estados, com base em notas fiscais falsas.

O esquema é conhecido como de “empresas noteiras”, que existem somente no papel e são utilizadas de maneira criminosa para emitir documentos fiscais, com o objetivo de registrar a saída de mercadorias. Esse esquema é muito utilizado para acobertar cargas roubadas, como as que foram identificadas durante a investigação. Segundo investigação, é possível que as emissões de notas fiscais alcancem valores superiores a R$ 400 milhões.

As ações estão sendo concentradas em pessoas físicas e jurídicas, especialmente em galpões que podem estar sendo utilizados pela quadrilha para guarda e adulteração de veículos. Com o cumprimento dos mandados, a Polícia Federal espera conhecer o modo de atuação dos investigados e até mesmo ampliar o foco da investigação.

Comentários no Facebook