Dez cafés capixabas estão na final da maior premiação da cafeicultura nacional. Seis amostras de café conilon e quatro de arábica concorrem no Coffee of the Year (COY), realizado durante a Semana Internacional do Café (SIC) 2019. O evento começou nessa quarta-feira (20) em Belo Horizonte-MG.

O anúncio dos finalistas movimentou os corredores do evento. Representantes dos vários estados participantes vibravam cada vez que o nome dos agricultores era mencionado pelo megafone. Das dez amostras de conilon selecionadas, seis são do Espírito Santo. Os cafeicultores capixabas disputam com agricultores de Rondônia e Bahia. No caso do arábica, 25 amostras estão na disputa, sendo quatro do Espírito Santo. As demais são oriundas principalmente do estado de Minas Gerais.

Publicidade Publicidade

“Para nós é uma satisfação muito grande e reforça mais uma vez o trabalho de qualidade que vem sendo feito a muitas mãos há muitos anos no Espírito Santo. Esse trabalho vem trazendo resultados práticos. Nos últimos anos nós ganhamos algumas vezes, com destaque para o ano passado, em que conquistamos o primeiro lugar no conilon e do arábica. Então a gente vem defendendo o título com muita confiança na capacidade dos nossos profissionais de assistência técnica e extensão, mas, sobretudo, na capacidade de produção de cafés excepcionais que nós temos no Espírito Santo. Pelo cuidado com os produtores e aprodutoras de café que temos. Estamos confiantes e esperançosos em obter resultados de muito destaque no Coffee of the Year deste ano”, afirmou o subsecretário de Estado de Aquicultura, Pesca e Desenvolvimento Rural Sustentável, Michel Tesch.

O diretor-técnico do Incaper, Nilson Araújo Barbosa, avalia que o número de amostras de cafés capixabas entre as finalistas é uma prova do trabalho desenvolvido. “Mostra para o Brasil e para o mundo que o Espírito Santo está no caminho certo. O trabalho desenvolvido pelo Incaper e pelas instituições parceiras é fundamental para o desenvolvimento de uma cafeicultura com qualidade e sustentabilidade. A cada ano, a competição está mais acirrada e a presença do Espírito Santo estimula isso. O mérito é dos agricultores capixabas, que têm trabalhado para melhoria continua dos nossos cafés, aplicando as tecnologias preconizadas para a produção de cafés especiais”, completou.

“Todas as tecnologias que o Incaper disponibiliza ao cafeicultor capixaba contribuíram  significativamente para que o produtor alcançasse esse desempenho. Tem trabalho de muita gente do campo à xícara, desde a muda até o produto final. Ter dez amostras na final demonstra a importância da integração entre pesquisa, assistência técnica e extensão rural. A entrega destas tecnologias é fundamental para o sucesso do produtor”, pontuou Abraão Carlos Verdin Filho, coordenador técnico de Cafeicultura do Incaper.

“O Sebrae estimula a cafeicultura por meio, por exemplo, de um programa amplo, envolvendo muitos atores, para o desenvolvimento do setor no Espírito Santo. Cada parceiro tem um papel e contribui para um todo: tornar a cafeicultura do Espírito Santo a mais desenvolvida do Brasil. O Sebrae pode ensinar sobre a gestão das propriedades, oferecendo também capacitação sobre precificação, custos, produtividade, marketing e posicionamento de marca. Tudo no sentido mais amplo da gestão da propriedade. Os finalistas do concurso de qualidade têm a contribuição do Sebrae no sentido de dar suporte nesta jornada”, acrescentou Luiz Toniato, diretor de Atendimento Sebrae/ES.

Esse resultado é gratificante, de acordo com o analista de mercado do Sistema OCB/ES, Alexandre Ferreira. “Há alguns anos estamos realizando investimentos em relação à qualidade do café, incentivando que as cooperativas desenvolvam esse tipo de produto. Ter quatro amostras de cafés de cooperativa é para nós resultado de um trabalho em parceria com diversas instituições, principalmente os produtores. É o resultado de um trabalho árduo, em conjunto, que coroa esse esforço de tanta gente”, disse.

Ao todo, 180 cafés de todo o Brasil inteiro foram inscritos na premiação. Destes, 48 eram do Espírito Santo: 18 do Café Caparaó, 11 dos Cafés das Montanhas e 19 do Conilon Capixaba.

O Espírito Santo é o atual campeão brasileiro, tanto na categoria arábica quanto na categoria conilon. Em 2018, entre as 400 amostras nas categorias Coffea arabica ou Coffea canephora (conilon/robusta) levadas por agricultores de várias regiões do Brasil, os 1°, 2º, 3º e 5º lugares em conilon e o 1º e 2º lugares no arábica foram do Espírito Santo.

Os capixabas conquistaram o primeiro lugar nas duas categorias: Afonso Lacerda, da Fazenda Forquilha, na Região do Caparaó, ganhou na categoria café arábica; e Luiz Claudio de Souza, da Fazenda Grãos de Ouro, em Muqui, ganhou na categoria café conilon. Este ano, novamente, os cafeicultores capixabas já selecionaram seus melhores cafés para concorrer à premiação.

Sobre o COY

A premiação Coffee of the Year (COY) elege os melhores cafés arábica e canéfora do Brasil por meio de voto popular e da avaliação profissional de juízes nacionais. Criado em 2012, o COY tem como objetivo reunir os melhores cafés do Brasil e eleger os grandes destaques do ano, incentivando assim o desenvolvimento e aprimoramento da produção nacional e a divulgação de novas origens do café.

O concurso conta com duas fases. A primeira consiste em receber as amostras de produtores de todo o Brasil que são torradas e provadas por profissionais Q-Graders licenciados pelo CQI (Coffee Quality Institute). Na segunda fase, as 180 melhores amostras participam das mesas de cupping durante o evento e são provadas por compradores nacionais e internacionais.

Destas amostras, as 15 melhores classificadas são preparadas e disponibilizadas para degustação às cegas e voto do público (10 amostras de arábica e 5 de canéfora). A revelação e premiação da amostra mais votada acontece no último dia do evento no auditório principal e com a presença dos visitantes.

#ESNASIC2019

A SIC 2019 vai até está sexta-feira (22) em Belo Horizonte. O Espírito Santo conta com um estande com 160 metros quadrados no evento. O espaço conta com três cafeterias, uma para cada origem de café. Desta forma, os participantes poderão saborear a bebida, apreciar os sabores e conferir a qualidade da produção cem por cento capixaba. Também foi disponibilizado um, espaço para degustação, com orientações técnicas a respeito das características sensoriais de cada café (cupping).

Mais de 300 cafeicultores capixabas devem participar da SIC 2019. Oitenta deles são de três cooperativas: Cafesul, Cooabriel e Coopeavi. Na ocasião, os produtores capixabas poderão comercializar seus produtos com compradores do mundo inteiro, num espaço reservado exclusivamente para as negociações.

Diversas instituições se uniram para compor a comitiva capixaba presente no evento: Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Espírito Santo (Sebrae/ES), Sistema OCB/ES, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Espírito Santo (Faes).

Sobre a SIC

A Semana Internacional do Café (SIC) é um encontro de cafeicultores, torrefadores, classificadores, exportadores, compradores, fornecedores, empresários, baristas, proprietários de cafeterias e apreciadores. O evento apresenta diversas ações a milhares de profissionais do mundo focadas nas áreas de mercado e consumo, conhecimento e inovação e negócios e empreendedorismo.

Saiba mais sobre a SIC 2019 no site https://semanainternacionaldocafe.com.br/br/ 

Comentários no Facebook