A priorização do atendimento ao segmento de construção está alinhada com a política de desenvolvimento estadual.

 

O segmento da construção civil engloba obras de diversas finalidades como casas, edifícios, pontes, barragens, fundações de máquinas, estradas, aeroportos e outras infraestruturas. Para incrementar o setor, o Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) possui soluções de crédito que atendem toda essa extensa cadeia produtiva, que envolve desde a produção da matéria prima e passa pela transformação industrial e logística.

Publicidade Publicidade

A cadeia produtiva da construção está entre os setores prioritários de atendimento comercial do Bandes pelo seu impacto no Produto Interno Bruto (PIB) e geração de emprego. A priorização do atendimento ao segmento de construção está alinhada com a política de desenvolvimento estadual.

A forma de atuar do Bandes próximo a setores prioritários para economia capixaba possibilita que empreendimentos estratégicos para o desenvolvimento regionalmente equilibrado do Espírito Santo tenham um atendimento mais ágil e alinhado com a política de desenvolvimento do Governo.

Cada etapa da cadeia produtiva da construção civil agrega valor ao produto final. Esse encadeamento de empresas ligadas ao setor envolve diversos segmentos, desde a extração de matéria-prima bruta, como minérios, até a indústria de materiais de construção, o comércio dos produtos, setor de serviços como engenharia e arquitetura, as construtoras que executam a obra e o posterior uso e operação.

Cadeia produtiva diversificada

O empresário do segmento de toda cadeia produtiva da construção pode investir com recursos do Bandes para aquisição de máquinas e equipamentos, além de investir em tecnologia e inovação. A atualização constante de maquinário é um dos diferenciais competitivos desta cadeia produtiva, conceitualmente dividida em três: cadeia montante, cadeia principal e cadeia jusante.

A cadeia montante está diretamente ligada com o que ocorre antes de iniciar uma obra, ou seja, envolve indústrias (madeireira, cerâmica, telecom e redes, segurança), insumos diversos (cimento, areia, cal, rejunte), materiais elétricos, siderúrgica, equipamentos de proteção individual (EPI), entre outros; já a cadeia principal relaciona o que está diretamente conectado com as etapas durante a execução da obra, como desenvolvimento de projetos, serviços técnicos especializados, tecnologia e inovação (softwares de gestão, automação) e o uso de ferramentas e equipamentos; e a cadeia jusante reúne desde transporte e aproveitamento residuais à indústria moveleira, serviços de decoração (arquitetos e decorações), manutenção de imóveis, entre outros.

Um dos desafios para o segmento é modernizar a infraestrutura e reabilitar as indústrias para torná-las sustentáveis, com eficiência aumentada no uso de recursos e maior adoção de tecnologias e processos industriais limpos e ambientalmente adequados. Para atender esta demanda, o banco apresenta por exemplo o Programa Bandes de Economia Verde, que possui como objetivo incentivar por meio do crédito produtivo a adoção de processos que contribuam para o desenvolvimento sustentável. Os projetos de investimento apoiados por este programa podem, por exemplo, estimular a geração e uso de energias renováveis e alternativas e o uso eficiente dos recursos, com estímulo à reciclagem e adequação ambiental na busca pela eficiência energética.

Comentários no Facebook