Brincadeira é coisa séria: essa é a impressão que o profissionalismo dos irmãos e empresários Guilherme e Giovana Brunoro deixa quando o assunto é o novo espaço de eventos infantis. Com conceito de buffet lúdico ecológico, totalmente indoor, a ideia é oferecer aventura e diversão para as crianças e até mesmo adultos com brinquedos feitos com madeira de reflorestamento, móveis de demolição e tramas naturais.

O Vila Pindô, cerimonial infantil recém-inaugurado em Vitória, conta com o apoio do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) desde a implantação. Ele foi todo pensado numa linha diferente nos dias de hoje: oferecer diversão sem tecnologia. Os empresários contam que parte do investimento foi feito com capital próprio e outra parte com recursos do Banco. “A análise criteriosa do nosso plano de negócios confirmou que a ideia de um ambiente lúdico para as crianças brincarem sem tecnologia era excelente e permite a criançada despertar sua criatividade”, explica Guilherme Brunoro.

Entre os brinquedos, além da tirolesa, há o túnel de fitas, o escorregador espiral, o formigueiro redondo, e outros. “Todos os brinquedos são telados e temos equipamentos de segurança para as crianças”, destaca o empresário. O cerimonial conta ainda com buffet próprio e o cliente pode também contratar opcionais específicos.

Os adultos também são convidados a participar das atividades no ambiente, totalmente integrado. “Todo mundo brinca junto, os pais podem estar próximos acompanhando todas as atividades e, além disso, temos oficinas específicas, aprovadas pelos pais, tudo adaptado para como o cliente quer a festa”, explica Giovana Brunoro.

Publicidade Publicidade

O nome Vila Pindô foi criado por Guilherme, que se inspirou em “Pindorama”, que significa terra das palmeiras, primeiro nome dado ao Brasil pelos índios tupis-guaranis. “Todo conceito percorre o tema. Até nossos pacotes de festas também seguem nomes de palmeiras: Buriti, Jerivá, Açaí e Dendê”, explica. O cerimonial terá muita iluminação natural e ambiente climatizado.

A alternativa de crédito utilizada para o financiamento do empreendimento foi o Fundo Geral do Turismo (Fungetur). O Bandes é uma das dez instituições de desenvolvimento no País que repassa os recursos do Ministério do Turismo. Com o Fundo, os negócios voltados ao segmento, especialmente bares, lanchonetes, cafés e empresas do ramo de hospedagem, podem investir com carência e prazo de pagamentos adequados ao negócio, podendo chegar a 24 e a 120 meses.

Quem pode contratar?

A linha apoia investimentos de implantação, expansão, nova localização, modernização, diversificação, desenvolvimento tecnológico e gerencial de empreendimentos ligados ao setor turístico. Um ponto de destaque é que a linha atende a empreendimentos em qualquer município capixaba. Com isso, a empresa não precisa estar em um município que tenha um perfil tradicional no turismo.

Tradicionalmente, o Bandes apoia as particularidades econômicas de cada região, com crédito estruturado para o fortalecimento das potencialidades regionais. Com condições competitivas de prazos e juros, o Fungetur se configura como mais uma alternativa para ampliar as possibilidades de fomento do turismo como negócio, criando estratégias para o desenvolvimento social e econômico – geração de emprego e renda, além da inclusão social e melhoria na qualidade de vida.

Comentários no Facebook