As escolas da região têm criado ambientes positivos para a conquista de bons resultados.

A Superintendência Regional de Educação (SRE) de Linhares realizou no último sábado (30) a 2ª Reunião de Boas Práticas das escolas da Rede Estadual. Na ocasião, foi trabalhada a temática “O uso das rotinas e a reflexão sobres práticas pedagógicas no ambiente educacional”.  Participaram diretores, pedagogos e a equipe da Supervisão Escolar. Dentre os objetivos propostos buscou-se ampliar a reflexão dos gestores escolares por meio de troca de práticas entre as unidades de ensino; apresentar as propostas de estratégias de rotinas de fortalecimento do trabalho coletivo; o acolhimento dos estudantes e prevenção do abandono; promover reflexão de como as rotinas estão sendo trabalhadas na escola e o impacto que geram e propor rotinas de trabalho escolar que contribua na organização, sistematização e avaliação das práticas pedagógicas da escola.

Publicidade Publicidade

O superintendente Gison de Oliveira Soares falou dos resultados gerais da regional após o fechamento do 2º trimestre, agradeceu o empenho e destacou o crescimento no indicador de resultado das escolas. “As escolas tem conseguido criar um ambiente positivo que valoriza e respeita as singularidades e isso tem trazido bons resultados”, disse. Em seguida, foi realizada uma reflexão sobre os conceitos de hábito, rotina e cultura dentro do ambiente escolar. O grupo foi convidado a pensar sobre os fatores que contribuem para abandono e evasão dos estudantes e em como reverter à situação. O encontro se direcionou em pensar o que se pode fazer, qual recurso a escola tem e pode usar para garantir a permanência e continuidade dos estudantes e quais práticas as escolas tem usado para impedir essa saída.

As “Boas Práticas” das Escolas de Ensino Fundamental e Médio (EEEFM) Misael Pinto Neto, EEEFM José De Caldas Brito e CEEMTI Monsenhor Guilherme Schmitz foram compartilhadas entre o grupo e trouxeram exemplos de como a escola pode criar um espaço com condições para todos, com equidade e respeito. As escolas demonstraram que existe uma preocupação em acolher e apoiar os estudantes e professores. Destacaram que a interação entre eles é fundamental no processo de construção da aprendizagem e que muitos professores utilizam da escuta ativa e sensível com os estudantes.

Essas ações ajudam os estudantes a se tornarem protagonistas tanto na jornada acadêmica quanto na capacidade de enfrentar as dificuldades sociais e emocionais, transformando as experiências em conhecimento. “Em decorrência das discussões, acreditamos que o momento contribuiu para qualificar ainda mais as ações de acolhimento, autoestima e sociabilidade dos estudantes. E, ainda, para melhoraria no processo de produção de vínculos e respeito entre todos na escola”, concluiu.

Comentários no Facebook