Bandes participa de conselhos para desenvolvimento regional equilibrado e sustentável

0

O desenvolvimento regionalmente equilibrado é um dos objetivos do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes). Para isto, o banco tem atuado junto com outros atores representativos da economia capixaba de forma alinhada com a politica de desenvolvimento do Governo do Espírito Santo.

Duas destas ações são o Plano Regional do Espírito Santo e a implantação, em cada uma das dez microrregiões capixabas, do Conselho de Desenvolvimento da Microrregião, com gestão conjunta entre as Secretarias de Estado de Desenvolvimento (Sedes) e de Economia e Planejamento (SEP), além do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN). Todos os Conselhos já foram implantados e iniciaram suas reuniões para definição dos temas prioritários para o desenvolvimento local.

Publicidade Publicidade

São integrantes dos Conselhos vinte e um membros, entre representantes do Governo estadual, municipal, poder legislativo, representantes do setor produtivo e de movimentos sociais. O Bandes está presente e possui papel importante na articulação de investimentos produtivos que tenham impacto nas regiões, contribuindo para geração de emprego, renda e de riqueza com impacto no desenvolvimento regionalmente equilibrado.

O representante da instituição nestas ações, o gerente de Negócios do Bandes, Everaldo Colodetti, explica que esta dinâmica de discussão com todos os atores contribui para que o banco identifique projetos de financiamento de impacto local e possibilita a formatação de produtos e serviços do Bandes adequados para cada região.

Colodetti enfatiza que o principal objetivo do Bandes é buscar o desenvolvimento regional integrado de forma equilibrada e sustentável. “É muito importante a participação do Bandes nos Conselhos Regionais, pois trata-se de um ambiente de articulação, integração de interesses das microrregiões a partir das vocações, desafios e oportunidades identificadas para cada área. Podemos nos aproximar das lideranças e formadores de opinião locais, além de construir, de forma conjunta, produtos e serviços do Bandes que fomentem a economia local”, destaca o gestor.

Cinco das microrregiões já definiram os temas prioritários:

  • Caparaó: Turismo e Meio Ambiente;
  • Central Serrana: Infraestrutura Rural e Segurança Hídrica;
  • Central Sul: Turismo e Empreendedorismo Rural;
  • Litoral Sul: Turismo, Recursos Pesqueiros e Infraestrutura e Logística.

A partir destas definições de temas, nas reuniões serão definidos objetivos estratégicos e construção de planos de ação para o desenvolvimento econômico e social local.

Entenda as iniciativas de fomento
A política de desenvolvimento regional tem como principal objetivo criar ações de fomento que busquem o equilíbrio do desenvolvimento em todas as diferentes regiões, com foco em potencializar os arranjos produtivos existentes e gerar novas oportunidades. A ação de governo se orientará pela busca do equilíbrio e irá contemplar ações bem estruturadas, focadas na busca de investidores capazes de consolidar ou adensar cadeias produtivas já existentes.

O Plano prevê uma articulação com o fomento em diferentes esferas: municipal, estadual, setor produtivo e movimentos sociais. O objetivo dos Conselhos é criar uma agenda prioritária para região, com ambiente de articulação, integração de interesses das microrregiões, a partir das vocações, desafios e oportunidades identificadas para cada área. E, dessa forma, buscar o desenvolvimento regional integrado de forma equilibrada e sustentável.

Comentários no Facebook