Em 2016, a Austrália teve seu último ano com produção de automóveis em um século de fabricação ininterrupta. Com a saída da Ford, General Motors e consequentemente da Toyota, o país saiu do grupo de nações produtoras.

O impacto foi enorme, mas parece que ainda há esperança de que a Austrália volte a fazer veículos. A startup H2X quer retomar a produção de carros no continente, porém, pretende faze-lo com veículos movidos a hidrogênio.

Publicidade Publicidade

 

Criada em 2015, a H2X anunciou este mês sua intenção de ter uma gama de veículos abastecidos com hidrogênio para fazer a diferença no mercado local e no exterior. A proposta abrange não só carros de passeio, mas também comerciais leves.

Mesmo sabendo das características da Austrália, onde algumas regiões são tão distantes e com poucos postos de combustíveis pelo caminho, a H2X foca sua tecnologia em um conjunto híbrido plug-in, semelhante à Nikola Motors.

Dessa forma, os carros não precisarão ser abastecidos o tempo todo apenas com hidrogênio. A H2X possui um pacote de células de combustível integradas em baterias de lítio. O primeiro modelo, chamado Snowy tem 260 cavalos de potência e bateria de 60 kWh.

Baseada em Sidney, a H2X não revelou o alcance de seus carros, mas devem ser suficientes para cobrir as distâncias locais sem risco dos clientes ficarem nas ruas. Além disso, a rede de recarga elétrica no país dá apoio à essa iniciativa.

A empresa pretende pretende lançar ainda um monovolume para táxi e uma van de passageiros ou carga com esta tecnologia.

Um dos objetivos é gerar 5.000 empregos com a produção de tais veículos, empregando mais 25 mil de forma indireta no país. Os testes começam em 2021 e a produção do Snowy se inicia em 2022 ou 2023.

Comentários no Facebook