Na última semana, a Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh) iniciou, de forma remota, dois projetos: “Desenvolvimento e Implantação de Sistema de Informações de Recursos Hídricos no Espírito Santo” e “Apoio à Implantação e Aperfeiçoamento de Instrumentos de Incentivo ao Uso Racional da Água na Agricultura e à Autogestão Comunitária de Recursos Hídricos por Microbacia”.

Nessa sexta-feira (14), a equipe do projeto de incentivo ao uso racional e autogestão comunitária da água realizou uma reunião virtual de apresentação e alinhamento, quando foram definidos os objetivos e os primeiros passos para início dos trabalhos, que acontecerão administrativamente e em campo, nas microbacias hidrográficas do Córrego Frigério, em Nova Venécia, e do Córrego Sossego, em Itarana. Ambas as bacias apresentam históricos de conflito pelo uso de água e alta densidade de demanda de recursos hídricos para irrigação. Os dois primeiros profissionais contratados já têm atividades definidas e poderão trabalhar remotamente, de acordo com o cronograma, que já está definido, segundo a coordenadora do projeto, Silvia Batista Soares.

Publicidade Publicidade

“Nesta semana nós vamos definir os equipamentos e suprimentos a serem adquiridos, os trabalhos de campo que vão ser realizados e, a partir daí, seguir o projeto a todo o vapor”, detalhou a coordenadora.

O objetivo é implementar uma solução inovadora em microbacias hidrográficas de base agrícola e familiar do Espírito Santo, incentivando a distribuição mais justa da água e o uso estratégico do recurso hídrico entre pequenos produtores rurais, evitando conflitos devido à escassez hídrica. O projeto prevê ainda a participação ativa dos produtores rurais das regiões em todas as etapas de execução da pesquisa.

Já na última quinta-feira (13), profissionais contratados para atuar no projeto de “Desenvolvimento e Implantação de Sistema de Informações de Recursos Hídricos no Espírito Santo” participaram de um treinamento virtual que apresentou o funcionamento da Agerh e da Gerência de Regulação e Gestão (Gere), bem como as funções de cada coordenação responsável por analisar processos de outorga para usos específicos de recursos hídricos.

O projeto tem como objetivo a modernização das análises dos pedidos de Outorga, o desenvolvimento e a implementação de um sistema de informações de recursos hídricos. Para isso, a Agerh selecionou, até o momento, 10 profissionais que atuarão na organização documental, revisão da base cadastral, aperfeiçoamento dos fluxos de trabalho e na sistematização das informações relacionadas à Outorga de Uso de Recursos Hídricos. As atividades são necessárias para consolidar os dados já existentes e estruturar a Agerh para receber os demais processos, de acordo com o coordenador do projeto, Emannuel Bersan Pinheiro.

“Com a elaboração dos módulos do sistema, conseguiremos acompanhar com mais assertividade a evolução dos usos de água em cada região ou bacia hidrográfica, subsidiando os critérios de análise de Outorga e a implementação das ações previstas nos Planos de Recursos Hídricos”, disse Pinheiro, que na Agerh também é coordenador de Usos da Água na Irrigação.

Os dois projetos são realizados pela Agerh, em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação no Espírito Santo (Fapes) e com recursos oriundos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos e Florestais do Espírito Santo (Fundágua).

Os dois projetos já estão em execução, mas ainda há vagas abertas, que serão preenchidas com a realização de novos processos seletivos. Fique atento (a). 

Comentários no Facebook